Autor: Karel Luketic

Visão segue positiva, mas com risco-retorno equilibrado no curto prazo

Após a valorização do Ibovespa de 8,9% desde junho, o risco-retorno nos parece mais equilibrado do que no mês anterior. O foco está voltado para as eleições e, apesar da melhora na visibilidade vista ao longo de julho, agosto ainda deve ser um mês de incerteza. Assim sendo, a Carteira Recomendada XP para agosto segue balanceada, com posicionamento favorável a uma gradual retomada da bolsa, mas mantendo âncoras que nos protegem em um cenário adverso.

  • Cenário externo – percepção de risco aliviou na margem em julho: O mês de julho foi marcado por um respiro na percepção de risco global. O principal destaque foram os anúncios de liquidez na China, que reforçaram o seu comprometimento com o crescimento e trouxeram alívio aos mercados. Apesar disso, o processo de alta de juros nos EUA e as elevadas tensões comerciais entre os EUA e a China ainda devem trazer volatilidade, enquanto que os dados de China devem continuar fracos no curto prazo, adicionando incerteza.
  • Cenário doméstico – foco nas eleições para definir o rumo do Brasil: Os dados de atividade e inflação melhoraram em julho depois de terem desapontado em junho com a greve dos caminhoneiros. Apesar disso, a expectativa de crescimento de PIB caiu de 3% no começo do ano, para 1,5% hoje, e a atenção do mercado está totalmente voltada para as eleições de outubro, cujo resultado vai definir o panorama de médio e longo prazo para o Brasil.
  • Cenário político – agosto ainda é um mês de incertezas: Na visão da nossa equipe política, o tempo de TV e o financiamento têm um papel fundamental nas eleições. Julho foi marcado pelas definições de alianças partidárias, com destaque para o bloco do PSDB que garantiu 46% do tempo de televisão, contra 21% do PT e menos de 1% de Bolsonaro e Marina. Estas alianças são essenciais para a viabilidade das campanhas, mas não garantem o sucesso. O foco se volta para as pesquisas, mas não esperamos grandes avanços neste campo em agosto, à medida que as campanhas na TV somente começam no 31 de agosto.

Cenário base é Ibovespa a 90.000, mas incertezas ainda predominam

O nosso cenário-base para o Ibovespa é de 90.000 pontos até o final do ano, assumindo a eleição de um governo comprometido com reformas, 100.000 em um cenário otimista. Apesar do potencial ainda interessante (15-25%), dada a incerteza no campo político e econômico, ainda não achamos que seja hora de comprar todas as empresas alavancadas à atividade no Brasil. Em um cenário adverso, no qual um governo menos comprometido com reformas seja eleito, vemos o Ibovespa a 62.500 pontos.

Gráfico de sensibilidade Ibovespa

Carteira Recomendada XP – continua balanceada para Agosto

A Carteira Recomendada XP acumulou alta de 11,4% ao longo de julho, 128% dos 8,9% de alta do Ibovespa. Os destaques positivos foram BRF (+26%), Gerdau (+20%) e Banco do Brasil (+13%). Os nomes da carteira de agosto são: (1) B3 – 10% de peso na carteira (No lugar de Tim com 10% também em julho); (2) B2W – 5%; (3) Banco do Brasil – 15%; (4) BRF – 5% (de 10% em julho); (5) Equatorial – 10%; (6) Fibria – 15% (No lugar de Suzano com 10% em julho) ; (7) Gerdau – 10%; (8) Localiza – 10%; (9) Petrobras – 5% (No lugar de Cemig com 5% em julho) e (10) Vale – 15%.

Análises da Carteira Recomendada XP