Renda Fixa

Investir é diferente de poupar


Descubra as opções de investimento em Renda Fixa. Mais de 80 opções com taxas e rentabilidades competitivas. Diversas delas garantidas pelo FGC.

Abra sua conta. É grátis!

O que é Renda Fixa e por que investir?


Investir em Renda Fixa

É o investimento realizado diretamente em Títulos Públicos e Privados de Renda Fixa. Quando você compra um título de Renda Fixa, você está emprestando dinheiro ao emissor do papel, que pode ser um banco, uma empresa ou mesmo o Governo. Em troca, recebe uma remuneração por um determinado prazo, na forma de juros e/ou correção monetária, podendo receber, ainda, parcelas chamadas amortizações.

A XP desenvolveu uma exclusiva Plataforma de Renda Fixa para você operar Títulos Públicos, CDBs, LCIs, CRIs, LCAs, CRAs e Debêntures de maneira diferenciada. Com ela, você vai poder se informar melhor a respeito dos produtos disponíveis, comprar e vender com autonomia, transparência e agilidade, além de administrar sua carteira com facilidade e segurança. Tudo isso sem sair da frente do seu computador.

Selo Cetip
SELO CETIP CERTIFICA

Quando você investe em Renda Fixa pela XP, suas operações são registradas em seu nome (CPF/CNPJ), na Cetip, agregando assim muito mais segurança e transparência ao processo. Por essas e outras, a XP é a 1ª instituição a ganhar o selo Cetip | Certifica.

Vantagens


  • Diversificação

    Exposição a vários setores da economia, aumentando a diversificação do portfólio.

  • Tranquilidade

    Previsibilidade de rendimento (se os investimentos forem mantidos até o vencimento*).

  • Liquidez

    Ativos que podem atender aos objetivos de liquidez, de renda ou apreciação de capital.

  • Taxas competitivas

    Opções de produtos com isenção de imposto de renda.

  • Carteira Protegida

    Dezenas de opções cobertas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Tipos de investimento em Renda Fixa


Títulos Privados

Certificado de Depósito Bancário (CDB)


Os CDBs são títulos nominativos emitidos pelos bancos e caixas econômicas vendidos aos investidores como forma de captação de recursos do emissor.

Saiba mais
Títulos Privados

CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio)


Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio estão vinculados a direitos creditórios originários de negócios realizados, em sua maioria, por produtores rurais ou suas cooperativas, relacionados ao financiamento da atividade agropecuária.

Saiba mais
Títulos Privados

CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários)


Os Certificados de Recebíveis Imobiliários são títulos lastreados em créditos imobiliários, representativos de parcelas de um direito creditório.

Saiba mais
Títulos Privados

Debêntures


As debêntures são valores mobiliários que representam dívidas de médio e longo prazos de Sociedades Anônimas (emissoras).

Saiba mais
Títulos Privados

DPGE (Depósito a prazo com garantia especial do FGC)


Os DPGEs são depósitos a prazo emitidos por instituições financeiras. Os bancos comerciais, múltiplos, de desenvolvimento e investimento, as sociedades de crédito, financiamento e investimento e as caixas econômicos são as instituições autorizadas a emitir este ativo.

Saiba mais
Títulos Privados

FIDC (Fundo de Investimento em Direitos Creditórios)


Fundo de investimento que destina parcela preponderante de seu patrimônio líquido para aplicação em direitos e títulos representativos de créditos (direitos creditórios) provenientes de operações comerciais, industriais, imobiliárias, financeiras ou de prestação de serviços, entre outras.

Saiba mais
Títulos Privados

LC (Letra de Câmbio)


Instrumento de captação das financeiras, com o objetivo de financiar suas atividades. Você empresta dinheiro às financeiras em troca de uma rentabilidade preestabelecida.

Saiba mais
Títulos Privados

LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)


Título emitido por instituições financeiras públicas e privadas, vinculado a direitos creditórios originários do agronegócio.

Saiba mais
Títulos Privados

LCI (Letra de Crédito Imobiliário)


Instrumento de captação que pode ser emitido por instituições autorizadas pelo Banco Central, com objetivo de financiar o setor imobiliário que tem como lastro financiamentos imobiliários garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária do imóvel.

Saiba mais
Títulos Privados

Letra Financeira


Instrumento de captação de recursos exclusivo das instituições financeiras.

Saiba mais
Títulos Públicos

Tesouro Direto


O Tesouro Direto é um programa que possibilita a negociação, através da internet, de títulos públicos por pessoas físicas.

Saiba mais
Títulos Públicos

Títulos Públicos Federais


São títulos emitidos pelo Governo, por meio do Tesouro Nacional, com a finalidade de captar recursos para o financiamento da atividade pública.

Saiba mais
Importante: CRI, CRA, FIDC e Debêntures não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). CDB, LC, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, de até R$ 250 mil. Os riscos da operação com títulos de renda fixa estão na capacidade de o emissor (governo, em se tratando de títulos públicos, empresa ou instituições financeiras, em se tratando de títulos privados) honrar a dívida (risco de crédito); na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo (risco de liquidez); e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores (risco de mercado). Em se tratando de título privado, o risco de mercado inclui, ainda, o chamado prêmio do risco, que é aquele inerente à capacidade de pagamento da emissora do título. Muito importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Para informações e dúvidas sobre produtos, contate seu assessor. Para reclamações, contate nossa ouvidoria no telefone 0800 722 3710.